23 de maio de 2017

A FÉ, DOM CARISMÁTICO.



            A fé é uma energia espiritual e uma iluminação do psiquismo que nos possibilitam crer firmemente no Pai, no Filho e no Espírito Santo. E por crermos nEles, acreditamos com segurança em tudo o que Eles revelaram. A fé é um presente de Deus ao coração humano. E que presente!...
            A fé tem três faces: ela é uma virtude teologal, ela é um fruto do Espírito Santo, e ela é um Carisma concedido pelo Espírito de Amor.
            Como fé carismática ela é um impulso momentâneo e forte, causado pelo Espírito Santo, a fim de dar uma certeza interior a respeito de algum acontecimento que acaba de acontecer, ou que irá acontecer. Exemplo: “São Pedro disse ao paralítico: levanta-te e anda...” O paralítico ficou curado mas não se levantou. Pedro recebeu a certeza (a fé carismática) de que o paralítico estava curado. Por isso o tomou pela mão e o fez se levantar, curado. Outro exemplo: Jesus andando sobre as águas do mar da Galileia. Pedro gritou para Jesus: “Manda que eu caminhe sobre as águas!” Jesus gritou: Pedro, vem!. Pedro recebeu a fé carismática e andou sobre as águas, sem afundar, por sessenta, setenta metros. Afundou quando duvidou!
            Essa fé carismática é dada muitas vezes aos que oram para a cura das pessoas, quer de doenças físicas, quer psíquicas, quer espirituais. O Espírito Santo ilumina e concede uma certeza daquilo que se deve fazer ou daquilo que já se fez, que já aconteceu.
            Muitos daqueles que realizam o ministério de orar pelas pessoas, e que recebem os carismas de ciência, de cura interior, de libertação, quase sempre recebem também o carisma da fé carismática.
            A fé carismática se faz presente quando um coração convive com o Espírito Santo, e por Ele se deixa purificar, conduzir, inspirar e mover.
            Queremos nos renovar em todos os aspectos de nossa fé cristã, caminhando com a Igreja, na nossa paróquia ou na comunidade.
           

                

16 de maio de 2017

A FÉ É UMA VIRTUDE TEOLOGAL


            A fé é uma energia no espírito e uma iluminação no psíquico, pelas quais é-nos dada a capacidade de crer em Jesus Cristo, e por crermos com toda segurança em Jesus, cremos e aceitamos como verdadeiras todas as revelações que Ele nos fez e faz.
            A fé, juntamente com a esperança e a caridade, formam o conjunto das chamadas virtudes teologais. Chamam-se teologias porque se referem diretamente ao relacionamento do ser humano com Deus. Pela fé, cremos em Deus. Pela esperança, esperamos o cumprimento das promessas divinas a respeito da vida eterna. Pela caridade, somos amados e amamos a Deus e a tudo o que pertence a Deus, principalmente os irmãos.
            Pela fé teologal cremos que Deus Pai nos criou, nos adotou como filhos e filhas, tem um plano de amor eterno para cada um de nós, nos ama como a filhos únicos, tem um amor gratuito e incondicional para conosco, sabemos que nos criou para uma vida eterna, junto dEle, nos céus, para vivermos a felicidade que jamais terá fim.
            Pela fé teologal cremos em Jesus Cristo, como Deus e Filho Unigênito de Deus Pai, que é a Palavra eterna do Pai que criou todas as coisas; que se encarnou no seio da Virgem Mãe, viveu conosco por 33 anos, nos revelou os segredos que estavam escondidos nos céus, morreu e ressuscitou para a nossa salvação, voltou para os céus, mas continua conosco na Eucaristia, na Sua palavra e na comunidade dos irmãos.
            Pela fé teologal, cremos no Divino Espírito Santo, que é Deus como o Pai e o Filho, que forma com Eles a Trindade Santa, que desceu sobre Jesus e sobre a Igreja, da qual Ele é a alma vivificante; que Ele mora em nossos corações e veio habitar em nós para nos santificar.

            Queremos aprofundar essa fé teologal a fim de podemos viver muito melhor a nossa vida cristã em comunhão com a Trindade.

10 de maio de 2017

A FÉ CRISTÃ

O   QUE  É  A  FÉ  CRISTÃ
     A fé é uma energia espiritual no nosso coração e uma iluminação no nosso psiquismo que nos possibilita crer em Jesus Cristo como verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Esta fé, este crer em Jesus nos leva natural e necessariamente a crer e ter certeza de que tudo aquilo que Ele revelou e ensinou é verdadeiro, podemos aceitar e crer com plena certeza e segurança. Essa energia e iluminação que chamamos de fé, é um dom de Deus, concedido pelo Espírito Santo. É uma virtude dada por Deus.
A fé cristã não consiste em primeiro lugar em crer nas verdades reveladas por Jesus. Esse é o segundo passo. O primeiro passo está em crer na Verdade Pessoa, que é Jesus Cristo morto pela nossa salvação e ressuscitado para a nossa vida e salvação. Crer firmemente em Jesus vivo: eis o início da fé verdadeira.
Porque cremos com toda certeza e firmeza em Jesus, natural e necessariamente acreditamos em todas as verdades por Ele reveladas.
Porque Jesus nos revelou Deus Pai, nós cremos que Deus é Pai, é nosso Pai, nós descobrimos o seu grande amor de Pai, nós nos sentimos amados e amando o Pai.
Porque Jesus nos revelou o Espírito Santo, nós cremos no Espírito Santo, procuramos conhecê-lo, o acolhemos em nosso coração e nós nos deixamos dirigir por Ele.
Porque Jesus nos revelou que existe uma vida após a morte, nós aceitamos com plena certeza essa verdade e procuramos viver de tal forma que possamos conquistá-la.
Porque Jesus nos revelou que existe o céu para os aprovados em sua vida terrena e o inferno para os reprovados por causa de sua má vida, nós cremos e procuramos viver de tal forma que possamos ganhar o céu.
Porque Jesus instituiu a Eucaristia e disse: Isto é o meu Corpo e este é o meu sangue, nós não temos dúvidas da presença real de Jesus no Pão e Vinho Consagrados.
Porque Jesus disse: “A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados”, nós temos a certeza do perdão quando nos confessamos ao sacerdote.
O fundamento, o alicerce irremovível  de nossa fé cristã é Jesus ressuscitado. Cremos nEle, e por isso cremos em toda a sua revelação.
Queremos aprofundar, reafirmar e consolidar a nossa fé em Jesus Cristo, ressuscitado, Salvador e Senhor nosso, bem como em toda a sua revelação.



                

7 de abril de 2017

O GRANDE BANQUETE DO REINO

Jesus Cristo, na sua missão evangelizadora, anunciou, inaugurou e realizou a realidade do Reino de Deus, ou do Reino dos Céus. O Reino de Deus está naquele coração que crê firmemente no Deus vivo e verdadeiro, mantém um relacionamento com Ele por meio de uma vida de oração, vive uma vida crista iluminada pelo Evangelho de Jesus Cristo, com o fim de receber a vida eterna. Para levar o ser humano a conhecer e a viver essas realidades, Jesus usou muitas vezes de parábolas concretas e fáceis de serem entendidas.
            Um dia Jesus disse aos seus ouvintes: “Um homem deu um grande banquete e convidou muitas pessoas. E à hora do banquete, enviou seu servo para dizer aos convidados: Vinde, tudo já está preparado. Mas todos, um a um, começaram a escusar-se. Disse-lhe o primeiro: Comprei um terreno e preciso sair para vê-lo; rogo-te me dês por escusado. Disse outro: Comprei cinco juntas de bois e vou experimentá-las; rogo-te me dês por escusado. Disse também um outro: Casei-me e por isso não posso ir. Voltou o servo e referiu isto a seu senhor. Então, irado, o pai de família disse a seu servo: Sai, sem demora, pelas praças e pelas ruas da cidade e introduz aqui os pobres, os aleijados, os cegos e os coxos. Disse o servo: Senhor, está feito como ordenaste e ainda há lugar. O senhor ordenou: Sai pelos caminhos e atalhos e obriga todos a entrar, para que se encha a minha casa. Pois vos digo: nenhum daqueles homens, que foram convidados, provará o meu banquete. (Lc. 14,16-24)
            Aquele que preparou o banquete é o Pai do céu. Os convidados para o banquete somos todos nós, seres humanos. O banquete do Reino é a fé no Deus verdadeiro, a amizade profunda com Ele, a vida vivida na alegria da presença, do amor e da alegria de Deus. Para aqueles que aceitam o convite do Pai, abrem seus corações à fé, ao amor, à convivência, à paz e a alegria da amizade com Deus, experimentam as delícias desse banquete espiritual, já na vida terrena e depois na vida eterna.

            Muitos, muitíssimos dão desculpas de toda espécie para não aceitarem o amor, a amizade, a convivência com Deus, e a viver uma vida fora do caminho da salvação. Preferem uma vida sem Deus, sem fé, longe dos mandamentos e das verdades do Evangelho.Todos estes não irão experimentar as delícias sobrenaturais que experimentam os que entram para o banquete. A realização plena desse banquete é a felicidade e a glória do céu.

3 de abril de 2017

AS RIQUEZAS MATERIAIS


            Jesus Cristo, na sua missão evangelizadora, para ensinar os verdadeiros valores da existência humana e as realidades sobrenaturais da vida eterna, usou de muitas parábolas de linguagem concreta e de fácil compreensão. Entre as diversas parábolas, um dia pregou dizendo: “Havia um homem rico cujos campos produziam muito. E ele refletia consigo: Que farei? Porque não tenho onde recolher a minha colheita.  Disse então ele: Farei o seguinte: derrubarei os meus celeiros e construirei maiores; neles recolherei toda a minha colheita e os meus bens. E direi à minha alma: ó minha alma, tens muitos bens em depósito para muitíssimos anos; descansa, come, bebe e regala-te.  Deus, porém, lhe disse: Insensato! Nesta noite ainda exigirão de ti a tua alma. E as coisas que ajuntaste, de quem serão? Assim acontece ao homem que entesoura para si mesmo e não é rico para Deus. (Lc.12,16-21)
            São muitos, muitíssimos os homens e as mulheres que têm a mesma mentalidade materialista e acumuladora do rico da parábola. Vivem acumulando bens materiais, e sobre eles depositam as seguranças de seus corações, a confiança num futuro seguro, a esperança de muitos anos vividos na riqueza, como se os anos não passagem, a vida não terminasse. Ouvimos o rico da parábola dizer: “: ó minha alma, tens muitos bens em depósito para muitíssimos anos; descansa, come, bebe e regala-te” . Que lhe aconteceu neste dia?  ”Deus, porém, lhe disse: Insensato! Nesta noite ainda exigirão de ti a tua alma. E as coisas, que ajuntaste, de quem serão?-  É o que ocorre com a grande maioria dos ricos que depositam suas certeza, confianças e esperanças nos bens materiais.
            Ao final da parábola, Jesus conclui: “Assim acontece ao homem que entesoura para si mesmo e não é rico para Deus”. Quem é rico para Deus? E que recompensa recebe aquele que é rico para Deus? Rico para Deus é aquele que crê firmemente no Deus verdadeiro, crê com plena certeza na vida eterna, segue Jesus Cristo como discípulo, vive sua vida segundo os ensinamentos do Mestre, vive uma vida cristã exemplar no matrimônio, na família, na profissão, na sociedade, e põe sua certeza e segurança na salvação eterna. Quem é rico de bens materiais, ao morrer, nada leva consigo. O que é rico para Deus, ao morrer leva toda a riqueza humana e espiritual que cultivou na vida. Receberá a vida eterna, plenamente feliz e para sempre