3 de dezembro de 2016

Musicas de Natal Instrumetal - CD completo 2013

30 de novembro de 2016

ADORAÇÃO E ORAÇÃO DE LOUVOR


            A adoração é o reconhecimento e a proclamação da divindade do Deus único, uno e trino. É reconhecer que Deus é Deus, e proclamar a sua divindade. Pela adoração, olhamos para Deus e reconhecemos a sua verdadeira identidade, aquilo que Ele é. E dizemos: Ele é Deus!!
            Quando adoramos a Deus, vamos descobrindo sempre mais a sua absoluta perfeição, e todas as perfeições divinas dos seus atributos, qualidades e virtudes. Descobrimos que Deus é santo, e que a sua santidade é divina, isto é, absoluta, perfeita, incomparável. Descobrimos que Ele é onisciente, onipotente, bondoso, misericordioso, justo, fiel, onipresente, belo, eterno, imutável, criativo, amoroso, com mais todas as qualidades e virtudes que possam existir. Mas descobrimos com alegria que todas elas são divinas, isto é, em grau absoluto, incomparável e divino.
            É então que naturalmente nasce no coração a oração de louvor. Diante das maravilhas dos atributos, das qualidades e das virtudes divinas, brota no coração o impulso de louvar a Deus por tudo aquilo que Ele é, por aquilo que Ele fez no universo e na humanidade, e por tudo aquilo que Ele nos fez.
            Louvar é elogiar, é fazer elogios. A oração de louvor é aquela pela qual nós elogiamos ao Deus único, uno e trino, por aquilo que Ele é, e por todas as suas perfeições. Nós vamos recordando uma determinada qualidade em Deus e por nossas próprias palavras vamos tecendo elogios.
            A oração de louvor brota naturalmente da adoração. Quando adoramos somos naturalmente induzidos ao louvor de Deus, pois a adoração revela a grandeza divina. Ao mesmo tempo, quando louvamos a Deus por algum atributo, qualidade ou virtude, nós estaremos adorando.
            Quando a adoração é realizada em grupo ou comunidade, onde as pessoas oram espontaneamente, a louvação surge naturalmente nas orações, em forma de oração falada ou cantada. É o louvor em adoração.
            O melhor louvor em adoração é aquele que louva, antes de tudo, por aquilo que Deus é, ou seja, por sua divindade e por suas qualidades, virtudes e atributos.
Podemos também louvar a Deus por tudo aquilo que Ele fez, ou seja, por todas as suas obras criadas no universo. Porque reconhecemos que essas obras todas são criações de Deus, o louvor por elas se torna adoração.
Podemos também louvar a Deus por tudo aquilo que Ele nos fez e continua nos fazendo. Porque são obras divinas, esse louvor se torna adoração.

A oração de louvor, por ser muito simples, pois consiste em fazer elogios por qualidades ou obras magníficas realizadas por Deus, ela facilita e enriquece a adoração que realizamos diante do Deus único, Uno e Trino.

26 de novembro de 2016

Músicas Natalinas

24 de novembro de 2016

ADORAÇÃO E VIDA CRISTÃ

        A adoração consiste no reconhecimento e na proclamação da divindade de Deus. É reconhecer e proclamar que Deus é Deus, é o único e, portanto, o verdadeiro. O ato da adoração brota do coração iluminado pela fé e se dirige para Deus. Movido pela adoração, o coração humano se dirige para Deus professando sua fé, sua aceitação da divindade, sua entrega confiante, sua sujeição, e se manifesta por meio de louvores, de ações de graças, de proclamações e exaltações da divindade.
            A adoração realiza uma comunicação profunda entre o coração humano e o Deus que é adorado. Essa comunicação se torna a fonte principal da vida cristã. Porque crê em Deus, porque o adora, porque o aceita e a Ele se rende, o coração humano passa a fazer dos mandamentos divinos, dos Seus conselhos e das Suas palavras as normas de vida cristã.
            Pela fé e pela adoração, o coração do cristão reconhece o profundo amor de Deus que o criou, que o salva e que o santifica, e reconhece com clareza que os ensinamentos divinos são todos movidos pelo amor que Deus tem para com o ser humano. E este, então, com zelo e alegria procura pautar sua vida de acordo com a vontade divina manifesta por Suas palavras. Dessa forma o cristão passa a viver a sua vida pessoal, familiar, comunitária,  social e religiosa de acordo com os divinos ensinamentos.
            Movido pelo espírito de adoração, o cristão vai formando seu modo de pensar, de falar, de desejar, de querer, de agir ou de não agir, bem como seu modo de viver, conforme a Palavra de Deus. Dessa forma vai edificando sua interioridade, sua personalidade, seu caráter e todas as suas relações sociais, constituindo a autenticidade de sua vida cristã.
            Essa vida cristã edificada sobre a Palavra de Deus e vivida pessoalmente por convicção, propicia uma vida matrimonial também edificada sobre os ensinamentos divinos. A vida cristã pessoal se une à vida cristã do consorte, o que gera uma família cristã que vive como tal. Esta se torna, aliás, a garantia de que os filhos que completam a família terão um lar exemplar de vida cristã, crescerão assimilando na atmosfera do lar, a verdadeira hierarquia dos valores cristão. Serão pais cristãos a formar filhos cristãos.
            Nessa escola de vida cristã, os pais como mestres, e os filhos como discípulos, formam-se para a vida comunitária e social, sabendo sempre sobrepor os valores cristãos aos contravalores que o mundo apresenta. Esses pais e filhos serão “uma luz que brilha na trevas” pelo exemplo de vida, pelo testemunho de suas palavras e pela coerência de seus atos.

            O espírito de adoração induz sempre, e com fidelidade, a uma vida cristã autêntica e exemplar. 

19 de novembro de 2016

FÉ E ADORAÇÃO


            A fé cristã é uma graça divina que ilumina todo o espírito e o coração do ser humano, dando-lhe a capacidade de ter a certeza absoluta da existência de Deus, da existência do Deus Trindade, e do amor que esse Deus tem para com o ser humano, procurando salvá-lo.
            A fé é a porta sempre aberta que permite entrar em comunhão com Deus, e com Ele manter uma amizade, um relacionamento real e existencial, e que por esse relacionamento, o ser humano é salvo e santificado pela ação divina.
            O coração humano,  iluminado pela fé, como que consegue ver a Deus de forma mística mas real, e consegue descobrir e perceber todas as perfeições desse Deus que enxerga pela fé.
            Pela fé evoluída pela graça e fundamentada sobre a Palavra, a pessoa percebe de forma convincente que Deus existe, que Ele é Uno e Trino, que Ele é eterno, onipotente, omnisciente, omnipresente, santíssimo, misericordioso, fiel, justo, perfeitíssimo.              Essa visão de Deus pela iluminação da fé leva o coração humano a se dirigir a Deus, a aceitá-Lo, a dar-Lhe uma resposta coerente com a grandeza da divindade, por meio da adoração. Ao enxergar Deus pela fé, o coração humano O adora. Esse clima espiritual de adoração que brota de dentro do coração que vê a Deus pela fé, suscita todas as outras manifestação. A adoração se abre como: aceitação crescente de Deus, rendição à sua divindade, acolhimento da vontade divina, oração de louvor, de glorificação, de exaltação, de ação de graças, de reconciliação, de intercessão, de libertação, de cura, de súplica, de confiança.
            Enquanto a adoração nasce da fé no Deus verdadeiro, e quanto mais profunda for a fé, maior será a adoração. E por sua vez a adoração solidifica a fé, a torna sempre mais segura e forte, pois pela adoração há a melhor comunicação com a Divindade. Quanto mais Deus se torna conhecido e fascinante, maior será a necessidade real de adorá-Lo e de abrir o leque da adoração em forma de diversidade de direções da oração.
            A fé é como um holofote que projeta a sua luz sobre o Deus Trindade. Quanto mais luminosa for essa luz, mais se percebe as belezas divinas. Diante das belezas divinas, nasce o desejo de adorá-Lo, e esse desejo suscita a adoração sob todas as suas formas.

            A fé, portanto, suscita a adoração. A adoração, por sua vez, desenvolve a fé. Esta, pode crescer permanentemente, ao longo de toda a nossa vida, pois Deus é de uma perfeição inesgotável. Quando mais cresce a fé, mais perfeita se torna a adoração.