25 de junho de 2013

AS VERDADES DA FÉ CRISTÃ

NOSSO  SENHOR

Em nossa profissão de fé católica declaramos que Jesus, o Cristo, o Filho único é “nosso Senhor”. A palavra “Senhor”, aplicada a Jesus, o Cristo, tem um significado muito próprio e significativo.
Em português usamos o termo “senhor” como forma educa de
tratamento. Dizemos: Senhor Pedro... Senhor João... Referindo-se a Jesus, o Cristo, o termo “Senhor” possui um outro significado. Dizer “Senhor Jesus” é proclamar que Ele tem um “senhorio”, isto é, que Ele é dono, é proprietário, é senhor de propriedades, sobre as quais Ele tem direito de posse.
      Na língua latina se diz “Dóminus”, que se traduz exatamente por ‘dono”, aquele que é proprietário de propriedades que lhe pertencem. Entre os romanos havia grandes proprietários que possuíam escravos. Eles eram “senhores”. “donos” dos escravos. Podiam dar-lhes a liberdade, podiam vendê-los ou trocá-los por outras mercadorias.
    É neste sentido de “domo”, de “proprietário” que se deve entender que Jesus é “Senhor”. O “senhorio” de Jesus se refere ao ser humano que foi “comprado” por Jesus, a preço de sangue.
    São Paulo compreendeu profundamente este sentido do senhorio de Jesus, que Jesus é o Senhor. A linguagem de Paulo se refere exatamente a esse sentido de “escravidão” e “libertação”.
   Paulo nos ensina que, por causa do pecado, éramos todos escravos do péssimo “senhor”, do mau “dono” que era o demônio, o inimigo. Com Sua vinda, com Sua vida, com a aceitação da paixão e morte de cruz, Jesus nos “resgatou”, nos “comprou”, e nós deixamos de ser propriedade do inimigo e nos tornamos propriedade do Senhor Jesus.
      São Paulo usa a palavra “comprados”, quando se refere à nossa condição de liberdade espiritual. Aos Coríntios ele nos diz: 
“Eras escravo, quando Deus te chamou? Não te preocupes disto. Mesmo que possas tornar-te livre, antes cuida de aproveitar melhor o teu chamamento. Pois o escravo, que foi chamado pelo Senhor, conquistou a liberdade do Senhor. Da mesma forma, quem era livre por ocasião do chamado, fez-se escravo de Cristo. Por alto preço fostes comprados, não vos torneis escravos de homens (!cor 7, 21-23)
Em outra passagem Paulo nos diz: Ou não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis? Porque fostes comprados por um grande preço. Glorificai, pois, a Deus no vosso corpo.* (!Cor 6, 19-20
     Também São Pedro nos ajuda a entender o Senhorio de Jesus quando diz: Porque vós sabeis que não é por bens perecíveis, como a prata e o ouro, que tendes sido resgatados da vossa vã maneira de viver, recebida por tradição de vossos pais, mas pelo precioso Sangue de Cristo, (1 Pe 1,18)
   Quando dizemos que Jesus é o Senhor, estamos dizendo que pertencemos a Ele, como um servo, um escravo pertence ao seu senhor. Éramos escravos do inimigo e fomos comprados por Jesus, pelo preço de seu sangue, e portanto pertencemos a Ele. Mas Ele nos comprou não para sermos escravos dEle. Ele nos dá a verdadeira liberdade de O escolhermos por nossa iniciativa como nosso Senhor e Salvador.
      Se Somos “do Senhor”, tudo o que nós dizemos que temos, não é nosso. Tudo lhe pertence. Mas ele disponibiliza tudo, nos empresta tudo, para nosso conforto e bem viver.

    Jesus Cristo é O Senhor, da nossa vida, do nosso passado, do nosso presente e do nosso futuro. Ele é o nosso “Dono”, o nosso Senhor.

1 Comentários:

Anonymous yanese disse...

Obrigado Senhor Jesus! porque sou sua.

27 de junho de 2013 15:27  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial