24 de junho de 2013

AS VERDADES DA FÉ CATÓLICA

SEU  ÚNICO  FILHO
Em nossa profissão de fé católica declaramos que “cremos em Jesus Cristo, Seu único Filho” (Filho único de Deus Pai).
   Que Jesus, o Cristo, é Filho único nós o sabemos e cremos porque nos foi revelado pelo próprio Pai e confirmado pelo mesmo Jesus, muitas vezes, nos Evangelhos.
     No dia do Batismo, quando Jesus foi ungido “sacerdote, profeta e rei” pela descida do Espírito Santo em forma de pomba, o Pai eterno manifestou-se, declarando: Este é o meu filho muito amado no qual ponho toda a minha complacência(Lc 3,22) E no monte Tabor, novamente o Pai se manifestou com as mesmas palavras: “Este é o meu filho muito amado no qual ponho toda a minha afeição, escutai-o” (Mc 9,2-9)
   Que Jesus é o Filho único do Pai, é uma conclusão da própria revelação da Santíssima Trindade. Deus se revelou Trindade: três Pessoas divinas num Deus único. Se o Pai tivesse gerado outro ou outros filhos, não teríamos a Trindade, mas um Deus em mais de três Pessoas. Jamais foi revelado que haveria mais Filhos do Pai.
    No início do seu Evangelho, São João chama o Filho do Pai eterno de “Verbo” (Palavra). Ele afirma: No princípio era o Verbo, ( o filho) e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio junto de Deus. Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito. Nele havia a vida, e a vida era a luz dos homens.  A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. [O Verbo] era a verdadeira luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem. Mas a todos aqueles que o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus, E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória, a glória que o Filho único recebe do seu Pai, cheio de graça e de verdade. (Jo 1, 1-5.9.12.14)
    Lemos ali que No princípio era o Verbo, ( o Filho) e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus”. O Filho existia no princípio, quando só Deus existia, antes da criação do mundo. E o Verbo-Filho era Deus.
  Esse Verbo-Filho é que deu ao ser humano a possibilidade de se tornar “filho adotivo” de Deus. Lemos: Mas a todos aqueles que O receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus”.
  Esse Verbo-Filho do Pai eterno é que foi enviado para junto de nós como nosso Salvador. Diz João: E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória, a glória que o Filho único recebe do seu Pai, cheio de graça e de verdade”.  Eis aqui a declaração explícita de que Jesus, o Verbo, é o Filho único: “a glória que o Filho único recebe do seu Pai”
     Ao falarmos de Filho de Deus, precisamos nos dar conta que existe um único Filho “natural” do Pai eterno, e que há muitos filhos adotados pelo Pai. Em nossa doutrina católica aprendemos e sabemos que, pelo Santo Batismo, o batizando é adotado como filho de Deus Pai. Portanto, o Pai tem um Filho natural e muitos milhões de filhos adotados que se encontram no céu, no purgatório e na terra.
           

            

1 Comentários:

Anonymous yanese disse...

excelente

25 de junho de 2013 08:00  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial