7 de setembro de 2013

A  VIRTUDE  DA  MANSIDÃO

            A virtude da mansidão também é filha do amor-caridade. Porque a pessoa vive a experiência de sentir-se amada pelo Deus-Trindade e pelos irmãos, e de sentir-se amando-os com alegria e felicidade, naturalmente ela se torna uma pessoa mansa.
            A mansidão é uma energia psicológica e espiritual presente no psiquismo da pessoa que faz com que ela tenha naturalmente um controle espontâneo sobre suas emoções e sentimentos no tratamento com as pessoas e com os acontecimentos, capaz de manter-se tranqüila, serena, calma, sem ansiedades ou estresse, relacionando-se e interagindo com serenidade e paz de espírito.
A mansidão do coração faz com que a pessoa  ao se relacionar com os outros não seja agressiva, compulsiva, agitada, estressada, ofendendo, ferindo, agredindo o próximo. Ao mesmo tempo ela tem a capacidade de não se deixar ferir, ofender com facilidade. Imaginemos uma almofada fofa coberta de veludo. Se lhe dermos um soco, ela não nos machuca e nem se ofende. Ela permanece a mesma, fofinha como antes. Assim é o coração manso: não ofende e nem se deixa ofender com facilidade.
            Pensemos num boi manso, num cavalo manso, num cordeiro manso. Podemos lidar com eles com facilidade e sem medo, pois não tem reações agressivas. Assim é a pessoa mansa.
            A mansidão tem muito a ver com bondade e humildade. Porque o coração é bom, trata as pessoas com mansidão, evitando por todos os meios de ofender, magoar, ferir, fazer sofrer.
            Para haver um clima interior de mansidão é preciso que esse coração não seja possuído de mágoas, raivas, ódios, vinganças, ressentimentos. Essas emoções feridas geram sempre um comportamento agressivo e impaciente. Portanto, para haver mansidão é preciso que esses sentimentos de desamor sejam eliminados por meio do perdão assumido e repetido muitas vezes. O perdão tem poder de curar as feridas do coração e de eliminar esses sentimentos de desamor.
A palavra mansidão transmite o sentido de brandura, de ternura. Uma pessoa mansa transmite paz e segurança, porque acomodou a agitação do dia a dia, e porque  venceu a ira.
A mansidão não é uma qualidade com a qual se nasce. Para se possuir essa virtude é preciso: 1º conhecê-la e desejá-la ardentemente; 2º purificar o coração de todo sentimento de desamor, como foi citado acima; 3º pedi-la ao Espírito Santo e 4º cultivá-la conscientemente dentro de si.  A mansidão está incluída entre os frutos do Espírito Santo. Por isso se almejamos ser mansos, devemos entender que mansidão precisa de um cultivo espiritual, que sempre leva à harmonia e não à discórdia.
O que não é mansidão
A mansidão não é morosidade, não está ligada a ser moroso, a não ter iniciativa, a aceitar tudo do jeito que está para não se irar. Não é isso. Uma pessoa mansa vive muito mais com qualidade de vida do que uma pessoa iracunda, agitada, amargurada, porque administra melhor situações difíceis. Portanto, quando pensamos em alguém manso, lancemos fora da nossa mente a idéia de que manso é alguém inerte, sem vida, passivo, que não tem direção, que não está apto para reivindicar os seus direitos. Mansidão não está ligada a nada disso.
Mansidão também não é timidez. Não podemos pensar que uma pessoa mansa seja alguém tímida. O manso é naturalmente uma pessoa calma e tranqüila, mas segura de si e de suas emoções.
Uma pessoa mansa não é alguém frio e calculista, mas sim, alguém que mesmo calada, analisa o que está acontecendo de errado ao seu redor e consegue reverter o quadro, porque não age na impulsividade das emoções. Sabe tomar decisões precisas.
Jesus Cristo é nosso maior exemplo de mansidão. Se seguirmos seus exemplos seremos pessoas mansas para agradar ao Pai e colher êxito em todas as áreas da nossa vida.  Jesus convidou a todos para virem a Ele, pois Ele é manso e humilde de coração. “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.” (Mateus 11:28,29).
 Os mansos são pessoas que sofrem com paciência as perseguições injustas. Nas adversidades os mansos mantêm o ânimo sereno, humilde e firme, e não se deixam levar pela ira ou pelo abatimento. A virtude da mansidão é muito necessária para a vida cristã. Normalmente, as frequentes manifestações externas de irritabilidade procedem da falta de humildade e de paz interior.
A virtude da mansidão parece fadada ao esquecimento e desprezo, já que não se vê como se pode coadunar com o homem moderno e competitivo. É preciso um profundo senso cristão para compreender que a mansidão não é “a fraqueza de caráter que dissimula, alguém que manifesta debaixo de um exterior adocicado um profundo ressentimento. A mansidão é uma virtude interna que reside ao mesmo tempo na vontade e na sensibilidade, para lá fazer reinar a serenidade e a paz, mas que se manifesta exteriormente, nas palavras e nos gestos, por maneiras afáveis.
A mansidão, como virtude, não se confunde com a inércia e a omissão. Faz a pessoa atuar e não ser vingativa, compreendendo os limites dos outros e cooperando com sua superação, com atitude de quem aceita o outro e tudo faz para o seu bem. Eis o que diz São Francisco de Sales, mestre e modelo da mansidão: "A humilde mansidão é a virtude das virtudes que Deus tanto nos recomendou. É necessário praticá-la sempre e em toda parte".  
A mansidão deve ser praticada especialmente com os pobres, os quais normalmente, por causa da sua pobreza, são tratados asperamente pelos homens. Deve-se ainda usar da mansidão particularmente com os doentes que se encontram aflitos e, as mais das vezes, recebem pouco cuidado dos outros. Devemos exercer a mansidão principalmente com os inimigos. É preciso “vencer o mal com o bem", isto é, o ódio com o amor, a perseguição com a mansidão. Assim fizeram os santos e por esse meio conseguiram o afeto de seus maiores inimigos.
Uma pessoa emocionalmente ajustada, amadurecida é também aquela que aprende a conviver com o inesperado, com as circunstâncias diante das quais nós não temos nenhum tipo de controle. Por isso mesmo, é que presenciamos a violência muitas vezes no trânsito, no trabalho, na família. A falta de mansidão, a falta de domínio próprio, a falta de controle, leva muitas pessoas a agirem de forma violenta.

A mansidão revela o ser tranqüilo, não-passivo, mas tem auto-controle. Por isso a Bíblia é muito clara “os mansos herdarão a terra”. Isso quer dizer, viverão mais e sofrerão menos, terão menos motivos para a ansiedade, e por conseguinte, serão menos agressivos e menos violentos. Os mansos aprendem a ver a vida, as coisas, as pessoas com mais praticidade, sob uma ótica diferente, por isso até a sua maneira de falar passa a ser também diferente, com brandura e mel, ao invés de violência e fel. 

2 Comentários:

Anonymous yanese disse...

Jesus Manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao Vosso.

8 de setembro de 2013 10:37  
Blogger Tereza Cardoso de Oliveira disse...

Vislumbro o céu numa alma que vive a virtude da mansidão e da humildade!

29 de dezembro de 2016 19:03  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial