11 de outubro de 2013

NOSSA SENHORA APARECIDA


            No dia 12 de outubro celebramos a festa de Nossa Senhora Aparecida, rainha e padroeira do Brasil. A história do encontro da imagem, a forma como a devoção se difundiu pelo Brasil, a existência da Grande Basílica de Aparecida, o excelente trabalho realizado pelos Padres Redentoristas, bem como pela Rádio Aparecida e a TV Aparecida, por certo são bem conhecidos dos nossos leitores.
            Queremos, neste artigo, identificar a imagem encontrada e aprofundar os privilégios divinos concedidos à mulher retratada na imagem de Aparecida.

Imaculada Conceição
            A imagem encontrada no rio Paraíba é uma imagem da Imaculada Conceição de Maria, mãe de Jesus. O enegrecimento da imagem deve-se ao fato de ter permanecido por muito tempo nas águas. Mas a imagem encontrada foi feita para celebrar o grande privilégio espiritual concedido por Deus Pai a Maria de Nazaré, em preparação à sua maternidade divina. Esse privilégio é a “concepção imaculada”.
            Maria de Nazaré – que entre nós recebe o nome de Nossa Senhora Aparecida - foi escolhida por Deus Pai, antes da criação da humanidade, para ser a mãe do Filho de Deus, que viria como Messias e Salvador da humanidade. Deus Pai preparou essa mulher desde a sua concepção no seio de Santa Ana. A primeira grande maravilha realizada pelo Pai celeste no coração de Maria foi  preservá-la do pecado original e de suas conseqüências maléficas. Esse privilégio glorioso de uma concepção imaculada só foi concedido a Ela e a seu filho Jesus. Nós identificamos esse glorioso privilégio com o título de “Imaculada Conceição”.
            Pela concepção imaculada, Maria foi preservada de todas aquelas forças do mal que se encontram no coração de todos os seres humanos, quais sejam: orgulho, egoísmo, inveja, vaidade, mágoa, ressentimento, impiedade, preguiça espiritual, tendências a todos os prazeres pecaminosos, erotismos de toda espécie etc. Maria, por ser a escolhida para ser a mãe do salvador, não poderia ser “uma escrava” do pecado. Por isso o Pai, pelos méritos futuros de Jesus, e pela ação do Espírito Santo, a preservou desse pecado.
            Nossa Senhora Aparecida é Maria, “concebida sem pecado”, assim preparada para sua missão de Mãe do Salvador.

Maria, Cheia de Graça
            Maria Imaculada, que é Nossa Senhora Aparecida, não foi apenas preservada do pecado original com todas as suas tristes conseqüências, mas recebeu outro grande privilégio: foi plenificada de toda graça divina. Quando o Anjo Gabriel foi anunciar-lhe que seria a mãe do Messias, exclamou: “Salve, cheia de graça!” Maria, desde sua concepção imaculada, foi plenificada de todas as graças de santidade, em função de sua divina maternidade. A mãe do Salvador devia ser uma mulher perfeita e santa no espírito, na mente e no corpo. Por isso, em previsão dos futuros méritos de Jesus Cristo, pela ação do Espírito Santo, o Pai celeste A preencheu de todas as graças que possam ser recebidas por um ser humano. Ficou tão plena que não poderia receber mais.
            Nossa Senhora Aparecida é essa mulher, Maria, cheia de toda a graça e beleza.

A Virgem Mãe Aparecida
            O terceiro grande privilégio concedido a Maria, que é a Imaculada Conceição de Aparecida, foi a sua virgindade “antes, durante e após o perto”. Quase um milênio antes de Maria de Nazaré ser concebida, os profetas já anunciaram que “uma virgem daria luz ao menino”, que seria o Messias esperado. Essa virgem seria Maria de Nazaré.
            Maria, porque era imaculada e cheia de graça, conservou santamente sua virgindade de mulher. E de comum acordo com seu noivo José, Ela permaneceu virgem, isto é, sem relações sexuais com seu esposo, por toda a vida.
            Maravilha muito maior e milagre bendito foi Ela ter permanecido virgem durante o parto. Maria de Nazaré deu à luz, sem ter rompido o “selo” de sua virgindade. O Pai celeste respeitou Sua decisão de viver para sempre virgem, e ao nascer o Seu Filho, por ação poderosa de Deus, Ela permaneceu intacta. Esta é uma maravilhosa verdade que professamos em nossa Igreja: a Virgindade da Virgem Mãe Aparecida. 
           
Assunta aos Céus
            A Virgem e Imaculada Mãe Aparecida foi privilegiada, também, na sua passagem desta vida para a eternidade com uma extraordinária graça. A Assunção de Maria aos Céus em corpo e alma é uma verdade dogmática professada com alegria e ação de graças pela Igreja, povo de Deus.
            Diz-nos o Vaticano II “Terminados os seus dias terrenos, Maria foi elevada aos Céus em Corpo e Alma”. Quando Nossa Senhora “adormeceu” no seu último sono na terra, Deus Pai, pelos méritos de Jesus e pela ação do Espírito Santo, “ressuscitou” seu corpo, transformando-o e glorificando-o, e a fez entrar “em corpo e alma” na glória dos Céus.
            Deus Pai, que A criou “imaculada e cheia de graça”, não permitiu que seu corpo se corrompesse. Ele o transformou num corpo glorioso como o de Jesus Ressuscitado e A elevou aos Céus.
            A Virgem e Imaculada Mãe de Aparecida é a “Maria, Assunta aos Céus”, aquela que junto do trono de Deus intercede por nós, seus filhos tão amados.

Mãe de Deus
            Todos os maravilhosos privilégios divinos concedidos pelo Pai à Virgem Mãe, Nossa Senhora Aparecida, dos quais quatro deles foram descritos acima, foram dados em função da Maternidade Divina. Maria de Nazaré, a Imaculada Virgem de Aparecida,  é honrada com a dignidade de poder ser chamada de “Mãe de Deus”. Ela é, de fato, Mãe de Deus, pois seu Filho é Deus, Filho de Deus Pai. Seu Filho é Deus como o Pai e como o Espírito Santo. Maria de Nazaré, a Virgem Imaculada de Aparecida, fecundada pelo Espírito Santo, gerou em seu ventre santíssimo o corpo humano do Filho de Deus.
            A maternidade divina de Maria é o centro de toda a sua existência e de todos os seus privilégios e glórias terrenos e eternos.

Transfigurar a Imagem        
Ao olhar alguma imagem de Nossa Senhora Aparecida, nosso coração deve “transfigurá-la” para encontrar, além das aparências da imagem, aquela mulher ali esculpida, a fim de descobrir sua origem, sua vida, sua missão, sua grandeza e sua glória.
Ao olhar para a imagem da Virgem de Aparecida, precisamos nos elevar até os Céus, onde ela se encontra. Ao chegar à sua presença, lembrar de imediato que ela é: a filha predileta do Pai; a mãe bendita do Filho; a esposa mística do Espírito Santo; a pensada e querida de Deus, desde antes da criação da humanidade; a preparada por Deus Pai para ser a mãe de Seu Filho, por meio da  Imaculada Conceição e da plenitude de Graças; a virgem antes, durante e depois do parto; a assunta aos Céus em corpo e alma; a mãe da Igreja e nossa querida mãe pessoal; aquela que mais perto se encontra da Trindade nos Céus; aquela que nos ama como a filhos resgatados pela morte de Seu filho.
É por essa transfiguração que encontramos a verdadeira grandeza da mulher retratada na imagem de Nossa Senhora Aparecida. Encontrada a grandeza dessa mulher, nós nos sentimos atraídos por ela, nos tornamos filhos devotados e confiantes em sua intercessão.

A Devoção a Nossa Senhora Aparecida
            Se perguntarmos por que a devoção a nossa Senhora Aparecida está em centenas de igrejas e capelas, e em centenas de milhares de lares brasileiros, as respostas podem ser muitas, das quais me atenho a duas.
Primeira: as inumeráveis graças e bênçãos de toda espécie que os devotos recebem por intercessão dEla. Verdadeiros milagres são freqüentemente testemunhados por pessoas e por famílias, realizados por Deus, pela intercessão da Virgem de Aparecida. Como também graças e bênçãos de toda espécie, como: conversão de pessoas que estavam afastadas de Deus e dos sacramentos; reconciliações de casais que estavam em crise matrimonial; filhos que tinham abandonado a família retornaram à casa paterna; curas físicas de tantas doenças e de toda espécie; proteção miraculosas em graves acidentes com veículos, como em grandes tempestades causadores de destruições de casas, e tantas outras bênçãos.
            Segunda: o amor e o carinho que o povo brasileiro sempre teve e mantém para com a mãe de Jesus. O amor a Maria, mãe de Jesus, é algo tão presente na alma do católico brasileiro que já faz parte de sua vida de cada dia manifestá-lo de alguma forma, quer por meio de alguma oração decorada repetida todos os dias, quer por meio da oração do terço, quer portanto algum santinho da Virgem na carteira, ou um tercinho na bolsa ou no bolso, quer colocando um decalque ou um terço no carro.
            Que o amor à Virgem Mãe Aparecida cresça ainda mais em nossos corações.


2 Comentários:

Anonymous yanese disse...

Excelente

13 de outubro de 2013 14:23  
Anonymous yanese disse...

Excelente

13 de outubro de 2013 14:25  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial