25 de fevereiro de 2018

ADORAÇÃO E SANTIDADE



            Adorar é entrar em contato com Deus, é estabelecer uma comunhão com Deus, reconhecendo-O como Deus, proclamando-O como Deus, bendizendo-O por Ele ser Deus, glorificando-O por seus atributos, virtudes e qualidades divinas, declarando-O como o Deus único, verdadeiro, Uno e Trino. A essência da adoração está no reconhecimento da divindade, na proclamação de que “Deus é Deus”! De que o Pai é Deus, o Filho é Deus, o Espírito Santo é Deus. Um Deus só, em três pessoas realmente distintas.
            Deus é santo. A santidade é um atributo da divindade. Deus é três vezes santo, isto é, santíssimo. Por ser santíssimo, Deus Trindade só pensa o que é santíssimo, deseja o que é santíssimo, fala o que é santíssimo, faz aquilo que é santíssimo e vive de forma santíssima.
            Por isso, porque a adoração é o reconhecimento, a aceitação, a proclamação da divindade de Deus, todo aquele que faz adoração entra em contato com a santidade de Deus e se sente chamado e impulsionado a viver em santidade.
            Do lado de Deus existe a santidade divina, perfeita. Do lado do ser humano existe o pecado, que é o oposto da santidade. A fraqueza humana, as más inclinações, as consequências do pecado original, os atos de pecados graves ou leves são o oposto da santidade. Por isso, o adorador, aos poucos, vai conhecendo e experimentando a santidade divina e passa a perceber que a sua realidade é inversa à santidade, e percebe que o seu pecado é o oposto da adoração. Com isto se sente chamado à conversão, às mudanças de vida que sejam opostas da adoração.
            À medida que o adorador progride em qualidade de sua adoração pela comunhão com o Deus adorado, vai tomando consciência de que deve cultivar permanentemente sua conversão do mal para o bom, do imperfeito para o perfeito, do pecado para a graça divina. Ao mesmo tempo, sente que deve se assemelhar cada vez mais com o Deus adorado no seu modo de pensar, de julgar, de desejar, de falar, de fazer e de viver.
            Com o progresso da adoração, com o aumento da capacidade de adorar, o coração humano vai recolhendo sempre mais as graças divinas de cada adoração, vai se purificando sempre mais de seus pecados, e vai crescendo na vivência das virtudes cristãs, e se torna um pouco mais parecido com o Deus a quem adora.
            A palavra de Deus usada oportunamente na adoração ilumina o coração adorador, quer a respeito do pecado que deve ser extirpado, eliminado, e principalmente a respeito das virtudes a serem cultivadas e vividas numa vida de santidade.
            O próprio Espírito Santo conduz esse processo de santificação por meio da adoração. Ele faz com que a santidade divina, aos poucos, contagie o adorador, cresça nele, e se torne progressiva. É dessa ação do Espírito Santo que a santidade divina vai tomando conta do coração adorador, tornando-o cada vez mais santo.
            A adoração é um excelente caminho para a santidade.

1 Comentários:

Blogger Roberto Daniel disse...

Boa noite,

Caríssimo Padre Alírio, gostaria de saber qual a sua Paróquia na atualidade, conheci falar de vossa pessoa através dos cursos de cura interior da TV Século 21 (EAD).
Soube também que já ofereceu retiros.
Gostaria de maiores informações, se possível algum dia visitá-lo.
Meu nome é Roberto Utzig, natural de Mondaí/SC, mas na atualidade resido em Gaspar/SC, próximo à Brusque, onde o Sr. ordenou-se. Desde já um grande abraço.

5 de setembro de 2018 19:41  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial